27 de abril de 2010

Terapia anti-zen....

Descobri uma coisa infalível. To adorando.
Quando estou muito zen, vou ao Big Box.
É batata! Cura na hora o excesso de calma.
É um mercado aqui de Brasília. Há em toda parte.
Uma maravilha. Um ícone da funcionalidade moderna:
Dois carrinhos não cabem no mesmo corredor.
Há mais caixas ociosos do que funcionando.
O preço do sistema em geral é mais caro.
As máquinas pifam nos dias pares.
As filas lembram o INAMPS.
E sempre há meia dúzia de funcionários desocupados,
na parte externa, conversando alegremente sobre a vida.
É um barato! Terapia anti-zen total.
A turma daqui não liga, reclamar é meio cafona.
Eu sou chato. E Paulista. E meio cafona....

4 comentários:

  1. Esse problema de caixas ociosos está nos bancos, nos cinemas, nos mercados. O número de caixas foi reduzido ao mínimo, mas se há dois, apenas um funciona. Parece uma reprodução do inconsciente humano, que faz o cérebro se recusar a operar com o total de sua capacidade, se só um pequeno esforço já for satisfatório. E de resto, o mercado que não permite dois carrinhos no mesmo corredor, ao mesmo tempo que se entulha de gôndolas pra oferecer mais, está te forçando a comprar cada vez menos.

    ResponderExcluir
  2. INAMPS? Vixe...assim vc entrega sua idade...hahahaha!

    ResponderExcluir
  3. Pois é, Júlia!! To ficando véio...hahaha E saudosita, o que é o pior!! Valeu pela visita!

    ResponderExcluir
  4. inamps foi phoda, mas meio cafona foi demasiado.
    oi, alemão! não pude deixar de dar um pulo no seu blog. que moderno! gostei.

    ResponderExcluir