28 de dezembro de 2012

As Balzacas e Lolitas de hoje....














Numa conta simples.
Cruzando a expectativa de vida.
De hoje e do Século XIX.
As balzacas atuais.
Teriam de 45 a 50 anos!
Por isso continuam irresistíveis:
Michelle  Pfeiffer , Monica Bellucci.
Catherine Zeta-Jones, Isabelle Adjani.
Luíza Brunet, Paula Toller.
Claudia Raia e Soledad Villamil.
E a mulherada na faixa dos 30.
Dos tempos atuais?
Ora, seriam adoráveis Lolitas!

Jan 2012

27 de dezembro de 2012

Sobre medo de avião.....

Tenho um ditado infalível:
Na repetição dominamos o medo!
Viajo tantas vezes de avião.
Que tenho ZERO de medo!
Virou atividade básica.
Como lavar pratos, ligar o chuveiro.
Vestir as meias ou por gelo no copo!
Mas outro dia vi uma cena curiosa.
A meu lado, um judeu ortodoxo.
Todo caracterizado.
E, pra minha surpresa: totalmente apavorado!
A cada solavanco ele agonizava.
E olhava para mim, suplicando conforto.
Diante da minha absoluta calma!
Por horas, pensei em tripudiar:
"O não religioso aqui sou eu!
Você com seu deus deveria estar bem calminho".
Mas minha maldade não durou 15 segundos.
Logo expliquei que eram movimentos normais.
Que já tinha passado por isso muitas vezes.
O que, evidentemente, funcionou!
No curso da viagem.
Ele comeu 5 sacos de amendoim.
E caiu em sono profundo!

fev 2012

O choro masculino...

Nós, homens.
Deveríamos registrar com entusiamo.
Quando choramos!
São momentos raros.
Visitas raras e profundas.
A zonas mais nobres da alma!
Nós, homens.
Poderíamos reparar.
Que mulheres choram "orgânicamente".
Aliás, são seus hormônios que choram.
E elas perdem nesse aspecto.
O que é uma baita desvantagem!
Nós, homens.
Preferimos chorar escondidos.
Envergonhados, fechados.
Egoístas de nossa comoção!
No fundo, no fundo.
Todo choro masculino,
É um triunfo pessoal.
Comemorado na solidão!

fev 2012

21 de dezembro de 2012

Auto-promoções 10...

Legal, legal.
E a Dilma tava !

10 de dezembro de 2012

A quase não-vida....

Ter personalidade hoje.
Não é produtivo!
A onda "up to date".
É demonstrar leveza.
E flexibilidade a adaptações!
Ao invés de lapidar uma persona.
Viramos um estilo de vida:
A praia que frequentamos.
O destino das férias.
O livro que carregamos.
A iguaria que provamos.
E o mega-show que iremos!
Todos nossos melhores predicados.
Colorem fotos e frases.
De páginas do Facebook!
E seguimos assim:
Cheios de esboços.
Mas sem "sermos" de fato.
Viva a pós-modernidade!

6 de dezembro de 2012

Fontes de sofrimento...














O sofrimento humano.
Deriva de três fontes:
O "azar do acaso".
As doenças, inevitáveis.
E o relacionamento humano!
A primeira, nada se faz.
A segunda, protela-se.
E a terceira, a mais doída.
É totalmente voluntária.
E poucos sacam isso!