20 de novembro de 2013

A fraqueza dos ressentidos....

Tá aí um sentimento ruim: o ressentimento.
Porque nele sutilmente esconde a dependência dos pais, de deus, do estado, etc.
Explicando melhor: a revolta é legítima e potente, é a vitalidade de se contrariar.
Em linhas gerais: é ir à luta, pra ganhar ou perder!
Mas o ressentido não se vê como derrotado, e sim como vítima!
E se livra da responsabilidade, na cômoda posição de eterno injustiçado.
Ou seja, é uma narcísica e viciante covardia!

11 de novembro de 2013

Tempo, o grande capital...

Curiosa a pós-modernidade que nos metemos!
Dominamos técnicas, criamos tecnologias, dominamos a natureza.
E o mais surpreendente: trabalhamos mais! Aliás, não é bem trabalho.
O trabalho é eterno, e faz bem. É vender tempo livre,  trocar tempo disponível.
...por mais dinheiro!
Haverá o tempo que compreenderemos que o grande capital..é o próprio tempo!