31 de julho de 2011

Paixão de um dia...



Aí você apaixona.
Pela Lucy Gordon.
Mais Jane Birkin.
Impossível!
Aí descobre depois.
Que ela não existe mais.

26 de julho de 2011

O segredo dos homens....

Esse Serge Gainsbourg.
Agregou até a Mme Bardot!
Ô sujeito de sorte.
Seduziu uma fileira de Deusas.
Juliette Gréco, France Gall.
Jane Birkin, Anna Karina, etc.
Ô inquientante dúvida!
O que faz um homem tão feio.
Ter tantas mulheres lindas?
Charme, lábia, elegância, poder.
Dinheiro, poesia, ouvidos?
Sei não, sei não.
É no mistério feminino.
Que mora o segredo dos homens.

24 de julho de 2011

A contracultura salvou o mercado....

Legal que essa idéia.
A contracultura salvou o mercado!
Explico:
O "american way of life" dos 40, 50.
Além de ser um estilo de vida.
Era a mais perfeita tradução.
Do consumo homogêneo de massa:
"Mesma casa, mesmo carro, mesma geladeira".
Foi a contracultura dos anos 60.
Que deu bases ao marrketing empresarial.
Pra imprimir a idéia de lançar a produção.
De forma personal e diversificada.
Convencendo o consumidor.
De sua liberdade pro tal..."estilo próprio".
Ou seja: mais lucro às empresas.
Enfim...o que vivemos hoje!

23 de julho de 2011

Ah, essa tal felicidade....2

Papo de "felicidade" cansa.
Quase sempre me dá sono.
Felicidade é uma idéia velha.
Felicidade é uma idéia errada.
Significa adotar uma monotonia.
E, sobbretudo.
Uma redução geral.
Da intensidade da vida.

22 de julho de 2011

O melhor presente de Sampa...



Sampa te dá um presente:
A leveza do anonimato.
Ninguém te conhece.
Ninguém te enxerga.
E pessoas somem por aí.
Um bom exemplo é o cara.
Que gamou numa mina linda.
Numa conversa de metrô.
Chegou a estação dela.
E ela sumiu na multidão.
Dando seu nome, no último ato.
Ele espalhou outdoores.
Foi em programa de TV.
E fez um livro sobre seu amor.
Procurou-a, procurou-a.
E nunca a mais viu!
Sampa te dá um presente:
O mais furioso anonimato!

21 de julho de 2011

Sobre pimentas e humor...



Quando saí da casa da Mama.
Virei cozinheiro.
Aí o tempero mudou.
E dá-lhe pimenta!.
Li outro dia que a planta.
Beneficia e muito a saúde.
Melhora a circulução.
Ajuda o coração.
A libedo e a pressão.
Pela diminuição do sal.
E mais.
O picante da capsaicina.
Soa o alarme do fogo!
E o cérebro descarrega.
Pequenas doses de endorfina.
Para aliar a ardência.
Resultado: equilíbrio do humor!
Aí vem a dúvida.
Virei uma pessoa calma.
Pela maturidade, pela privacidade.
Ou foi a pimenta?

Síndrome do Papagaio..

Síndrome do papagaio.
Sofro disso.
A mesma música 1000 vezes.
A mesma idéia 1000 vezes.
A mesma roupa 1000 vezes.
Como no Rock Progressivo.
Exploro uma única nota.
Até cansar.
Deve significar algo.
Só não sei o quê.

18 de julho de 2011

"Faroeste Caboclo" tanto tempo depois.....

Em Brasília há quase 5 anos.
Ontem que ouvi "Faroeste Caboclo".
Bateu aquela nostalgia de moleque!
Lembro que no ginásio.
Saber de cor a música.
Impressionava as menininhas.
Havia competição, comoção.
E até chorávamos com a saga musicada.
De João de Santo Cristo.
Engraçado notar tanto tempo depois.
A falta de verossemelhança.
Que passaram batidas na canção.

"Não boto bomba em banca de jornal".
Nunca vi uma banca de jornal em Brasília!

"Pablo trazia o contrabando da Bolívia
E Santo Cristo revendia em Planaltina".

Pera lá, Bolívia, rota de contrabando?

"E o Santo Cristo não sabia o que fazer
Quando viu o repórter da televisão
Que deu notícia do duelo na TV"

Duelo na Ceilândia na TV?
Tá, conta outra.

"Com Maria Lúcia Jeremias se casou
E um filho nela ele fez"

Maria Lúcia casa com o bandido mau?
Difícil de acreditar, mas vai lá.

"E nisso o sol cegou seus olhos
E então Maria Lúcia ele reconheceu
Ela trazia a Winchester-22
A arma que seu primo Pablo lhe deu."

Como é que é? Maria Lucia dá arma pro João?
Pra matar o pai do seu filho?

"Maria Lúcia se arrependeu depois
E morreu junto com João, seu protetor"

Como assim? Jeremias matou Maria?
A mãe do seu futuro filho?

"E a alta burguesia da cidade
Não acreditou na história que eles viram na TV"

Como é que é? Alta burguesia em Ceilândia?

É por essas e outras.
Que prefiro a Geni do Chico!

16 de julho de 2011

Quietudes.....

Ando viciado em Lennon.
Engraçado isso.
Retomar o "peace and love".
Logo agora.
Não, não virei não.
Um neo-hypster de plantão.
Mas serenidade, bom senso.
Paciência e quietude.
São meus maiores bens.
Por hora....

14 de julho de 2011

Meta-direções....



Pode-se ir pra cá.
Ou pra lá.
Pras bandas de lá.
Ou pro outro lado de cá.
Simplesmente ir.
A vida, tardiamente.
Abre vetores.
Diretrizes muitas.
De bons caminhos.
Vida, vida, vida...
Furiosamente imprevisível.

Porque é preciso de música 5....

Tem dias.
Que uma mesma música.
Te martela o dia inteiro.
Tum, tum, pá! Tum, tum, pá!
É como regressar.
A manifestações tribais.
Como sentir a força imensa.
Do próprio pulso.

13 de julho de 2011

Dia de Rock...

Dia de Rock.
Dia do som.
Que ainda entorta.
Minha coluna cervical.
Pra comemorar a data:
O site mais interessante.
Que pesquei nos últimos tempos.
Pena não ter visto antes!

12 de julho de 2011

A quase não-vida....

Ter personalidade hoje.
Virou um fardo.
A onda "up to date".
É demonstrar leveza.
Ao invés de lapidar uma persona.
Viramos um estilo de vida:
A praia que frequentamos.
O destino das férias.
O livro que carregamos.
A iguaria que provamos.
E o mega-show que virá ao Brasil.
Que já temos o ingresso!
Todos nossos melhores predicados.
Colorem fotos e frases.
De páginas do Facebook.
E seguimos assim.
Entupidos de traços.
Sem sermos de fato.
Viva a pós-modernidade!

11 de julho de 2011

O homem que amava as mulheres...



O filme-biografia.
De Serge Gainsbourg.
É absolutamente impedível.
Lindo e melancólico.
Pra parar por aí.
"Je T'aime Moi Non Plus".
Sem dúvidas nenhuma é.
O néctar-musical do gozo!

Sobre a inconsciência...

A grande decadência.
É perder a inconsciência.
Ela sim.
É o fundamento da vida.
Tanto é verdade, que.
O coração, se pudesse pensar.
Pararia....

9 de julho de 2011

Reflexões Etílicas...

Liga uma amiga.
Reclamando da ressaca.
Defendi-a, com veemencia.
Ressaca é importante.
Deixa o homem sensível.
Combate a produtividade.
E o consumismo.
E mais ainda.
Ressaca nunca é só física.
É psicologico.
Alguma iconoclastia.
De má ou boa cepa.
Foi feita...

7 de julho de 2011

Corda da liberdade....

O que seria bom.
Não acontece.
Aí apanha-se feliz.
Por isso.
Melhor que a frustação.
É zerar expectativas.
E pisar ao chão.
Isso vale pra tudo.
Amor, trabalho, etc.
Bom mesmo.
É se enforcar.
Na corda da liberdade!

Cidade imbatível...

Aí você fica.
Uma semana em Sampa.
E descobri isso.
Sofisticado, criativo.
Despojado, agradável.
Em conta e charmoso.
É oor isso.
Que essa cidade é imbatível!

Pra língua roçar...

Gosto do Pessoa.
Na pessoa
Da rosa, no Rosa.
E sei que a poesia.
Esta para a prosa.
Assim como o amor.
Esta para a amizade.
E quem ha de negar.
Que esta lhe é superior?

1 de julho de 2011

Fantástico texto...

Fantástico texto!
Fantástico isso.