12 de maio de 2014

Viva os enfermeiros!



Ninguém aplica tão bem o juramento de Hipócrates como os enfermeiros!
Passar temporadas em hospitais deveria ser obrigatório a todos, para ver o que essa turma faz!
A boa enfermagem é amor de mãe, sem pedir recompensa afetiva.
Médicos são protocolares, e quase sempre frios.
Enfermeiros são devotos na assistência e atenção ao humano!

6 de maio de 2014

A grande perda......


Um bom tempo sem escrever. Em  um mês perdi meu pai e meu tio – seu irmão, eventos que me lançaram num profundo estado de reflexão.
Há uns dez anos sempre convivi com a iminência de perder meu pai em face de sua saúde comprometida.
Mas só quando a morte é fato é que aprendemos sua real dimensão e o impacto em nosso íntimo.
Em verdade, sobressaiu-me o lado racional e compreensivo. O destino lhe foi generoso na medida em que, mesmo dentro de limitações físicas, não faltou tempo para o balanço qualitativo da vida: erros, acertos e o exercício de uma paz digna junto às pessoas mais íntimas e importantes da sua jornada.
Talvez seja esse o melhor dos fins, enxergar uma vida extensa construída com significados e muitos sentidos, não obstante uma compreensão não resignada de caminhos, descaminhos e valores transmitidos.  
E há muita beleza e humanidade nesse processo.
A dor, incurável, reside numa ausência-presença que se eternizará. Um buraco que é a certeza que nunca mais acessaremos uma fonte humana dessa importância, da paternidade de tantos signos de sua vida.
Se há algum remédio, o que insisto, improvável, é cultivar incessantemente as boas lembranças.
E será esse meu caminho......também não menos belo e edificante.