15 de abril de 2010

Epicurismo...

Preciso ler. E muito. Necessidade física. Os livros trazem novas idéias. Depois jorram. Viram palavras ditas. Mal ditas. Bem ditas. Soltas, perdidas, ordenadas.....
É preciso outros ângulos. Outras dimensões.
Voltarei a ler muito. Ir ao encontro de eus que não conheço...

2 comentários:

  1. Eu preciso ler também. E tenho trocado literatura, com muita frequência, por computador. Então, sinto que já não há nada mais que me separe da mediocridade. Sempre que me assaltava alguma insegurança, eu pensava: "pelo menos, eu leio". E agora, José Umberto?

    ResponderExcluir
  2. O Epicurismo é uma escola filosófica que, grosso modo, se posiciona entre o rigor quase monástico do Estoicismo e o praticamente “histerismo desenfreado” do Hedonismo, a idéia principal do Epicurismo rodeia o conceito de “ataraxia” que seria uma capacidade de não sofrer com as dores que a vida proporciona, para Epicuro muito mais importante do que a busca pelo prazer é a “ausência de dor”.
    Mas um dos principais legados de Epicuro são os conceitos de amizade que ele estabeleceu superando nitidamente os conceitos Aristotélicos que revestiam a amizade com uma certa camada de egoísmo.
    No senso comum, a amizade confunde-se com convívio, simpatia, cumplicidade, não seria necessária uma relação profunda e ideal e como tudo que é humano, a amizade contém em si mesma as contradições humanas.
    Para Epicuro, entretanto, não existe amizade se não existir virtude, são elas (as virtudes) que aglutinam pessoas afins, pessoas que de alguma forma se identificam com esses valores que lhe são comuns e isto criaria um magnetismo natural entre elas promovendo a amizade.
    Quando o elemento aglutinador não for a virtude e sim o vício, para Epicuro não existe amizade, nesse caso teríamos a cumplicidade, que não é amizade...
    Príncipes, para Epicuro, não possuem amigos, somente pessoas que os corterjam, portanto príncipes só possuem cortesãos.
    Tampouco amizade tem a ver com afetividade, às vezes se dedica mais afeto a um desconhecido do que àquele que de fato devemos gratidão.

    De qualquer forma são só opiniões, de Epicuro, Aristóteles ou seja lá de quem for...

    Um grande abraço desse seu Amigo nesse seu enésimo aniversário.

    Zé Ribeiro

    ResponderExcluir