26 de julho de 2010

Zorba e Reda Anderson...

Terminei o “O iconoclasta”, de Gregory Berns.
Denso, mas excelente. Um livraço!
Serve, sobretudo, aos que não temem o novo.
E a inquietos, incomodados, transformadores.
Aos que vêem o fracasso com desdem, em suma.
Há vários exemplos de iconoclastas:
das ciências, das artes, da política, de empresas.
Mas me chamou a atenção ”Reda Anderson”.
Uma “Maiden” de 69 anos.
Foi cobaia de um voo espacial.
Antes disso, foi à Antártica. À Mongólia de Jipe.
E mergulhou para explorar o Titanic.
(10 hs de mergulho, 3,8 km abaixo, espremida
num submergível russo de 1,6 de largura).
Disse: “Perguntarei furiosa a Deus, o que é essa
expectativa de vida de 70 anos? Há tanto ainda a fazer.”
Lembrei do Zorba, personagem literário fundamental
em minha vida, nas portas de sua despedida do mundo:
“Um homem como eu deveria viver mil anos!”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário