28 de julho de 2010

Jamais seria...

Jamais seria político.
É muito auto-agressivo.
Todas suas convicções, mesmo que impopulares,
são engolidas em troca de votos.
Desacreditar do criador : suicídio político.
Ser radicalmente lileralizante (drogras,
casamento gay, aborto, etc.).
10 votos no máximo.
No fundo, é quase um “não eu”.
Você é o arremedo da
violência do senso comum.
Políticos são importantes, claro.
Importantíssimos, diria.
Mas é para gente do Teatro...

3 comentários:

  1. Eles se fingindo de "eu" e nós aqui, nos fingindo de plateia; e assim, se perpetua a cultura do espetáculo. Mas o que é lileralizante? Fiquei curiosa. Procurei no google, caiu no seu blog... : / (Desculpe minha ignorância, pergunto merrrrrrmo... hihi. Tô sem dicionário aqui).

    ResponderExcluir
  2. Nem sei, Aline. rs. Talvez seja um neologismo. Mas ou menos aquele "liberou geral" do Tim Maia. rs.

    ResponderExcluir
  3. É a bibaaaaa... hahaha Amiga da bibiiii... Mas valeu a resposta. Liberdade poética sempre! Adoro seus textos!

    ResponderExcluir