23 de julho de 2010

Vamos comer Caetano...

Sou fã radical do Caetano.
Politicamente, gosto mais do Chico.
Mas a obra do Caê é bem mais viva.
Há diferenças claras.
O Chico usa personagens nas canções.
O Caetano é leonino. Fala dele. Se desnuda.
E canta muitíssimo melhor.
E nunca se acomodou. Vive se reinventado.
Transita em outros estilos musicais.
E rompe o esquema “banquinho e violão”.
Que às vezes mata a gente de sono.
Há músicas que me influenciaram muito:
“O estrangeiro”, “Língua” e "Trem das Cores"
Ainda hoje faço revisitações felizes.
Lembro de fases. Lembro de aromas.
Ou seja, sou Caetano Veloso Futebol Clube.
Hoje li a entrevista da Paula Lavigne
no Brasil Econômico (ótimo jornal, aliás).
Admirei-o mais ainda.
Transaram a primeira vez quando ela tinha 13 anos.
Ficaram 26 anos juntos. E se separaram numa boa.
“Adoro ser qualquer coisa do Caetano. Ex, Futura.
Tudo que venha Caetano depois, está ótimo”.
Resumiu a orgulhosa ex-mulher.
Paula também foi produtora do Cê.
Disco da faixa que canta a separação deles.
Há prova maior de maturidade emocional e beleza?

"Nada, nem que a gente morra
Desmente o que agora
Chega à minha voz.."

4 comentários:

  1. Falando em Chico e Caetano, não deixe de assistir: http://www.youtube.com/watch?v=TB6Cpy-X7A8
    Concordo em gênero e número!
    Agora, me chamou atenção quando vc escreve "Paulo Lavigne", o inconsciente te pegou? rs!

    ResponderExcluir
  2. ops. rs. Corrigido, Natalita. Amo esse vídeo. Mas não é verdade? Olha como o Caetano arrasa cantando. Até o Chico fica bobo com a interpretação dele de "Tatuagem".

    ResponderExcluir
  3. ok enfim alguém que concorde comigo. Chico é poesia e bastidores, Caetano é poesia e show! Sempre inventando, sempre inovando, sempre caetaneando.....

    ResponderExcluir