20 de janeiro de 2011

Leves alienações...

Ando feliz, feliz.
E o mais incrível.
É que não sei porquê.
Caminho alegre.
Na leveza das coisas.
No sentido de tudo.
Muito bom...
Lógico.
Há forte alienação.
Uma blindagem neutra.
Das desgraças do mundo.
E das tragédias de sempre.
Mas é bom.
E já que vamos...inexistir.
Que venha.
O bálsamo da vida.
Deliciosos minutos.
Simplesmente sorrir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário