22 de março de 2011

De repente, outono.



De repente, outono.
O calor cede.
Os corpos se escondem.
E as cores se recolhem.
De repente, outono.
A euforia cessa.
O ano começa.
E a vida se endereça.
De repente, outono.
As folhas no chão.
Tempo, estação.
Vinho e coração.

2 comentários:

  1. Triste sim....mas fazer o que??
    Queria mais verão!! Mais calor, praia tudo que vem junto...
    Agora as folhas caem...e a blusas saem do armario....brrrrr que friozinho!!!!

    ResponderExcluir
  2. ...ah o outono nele as temperaturas vão lá p baixo, as folhas ficam a dançar para lá e para cá e a vida tende quase a hibernar...texto sensível e vedadeiro...! Dágila

    ResponderExcluir