29 de março de 2011

Adeus, Zé....

E o Zé partiu.
Pra descanso justo.
Após tanta luta.
Obstinação radical à vida.
Disse, uma vez:
"Não temo a morte.
E sim a desonra".
Genial, genial.
Bravo guerreiro.
Sacava.
Com rara inteligência.
Que ele e a morte.
Jamais coexistirão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário