16 de março de 2011

Cordas de aço...

Queria mesmo.
Ter ido ao “Zicartola”.
Lendário bar de bambas.
A vida de Cartola foi um grito.
Contra o absurdo do racismo.
E o desleixo nacional.
Glória, só na velhice.
Antes disso, lavou carro.
De riquinhos de Ipanema.
Foi contínuo de jornal.
E serviu cafezinhos.
No Ministério da Indústria.
Para não passar fome.
Pasmem, só aos 66 anos!
Gravou seu primeiro disco.
Um cara que fazia isso:

"Na madrugada iremos pra casa
Cantando..."

Um comentário: