21 de outubro de 2010

Correr, correr, correr...

À minha frente.
Baias e gente.
Todos vidrados.
Em seus monitores.
Ao meu lado.
Janelas e sol.
A vida lá fora.
Amplitude e espaço.
Ó minha amada síndrome.
Das pernas inquietas.
Desde pequeno.
Queria correr.
Sair. Correr.
Correr. Sair.
De lugares fechados.
De cenários esgotados.
De relações vencidas.
Outro dia chorei.
Vendo Forest Gump.
Uma hora ali.
Uma hora qualquer.
Ele decidi correr.
Diante do absurdo da vida.
Resolve correr...

2 comentários:

  1. "Benditas coisas que eu não sei. Os lugares onde não fui. Os gostos que não provei. Meus verdes ainda não maduros. Os espaços que ainda procuro. Os amores que nunca encontrei. Benditas coisas que não sejam benditas. A vida é curta...O tempo escorre num piscar de olhos...", Umberto Conti...

    ResponderExcluir