2 de outubro de 2010

Contrastes...

Que contraste!
Do sol nordestino.
À garoa paulista.
Determinismos.
Estados de espírito.
Aquele papo da distância.
Que se toma dos lugares.
Parece certeiro.
O olhar do expatriado.
Nunca mais é o mesmo.
A cada distância longa.
Uma reinvenção.
Adoro essa sentença:
¨O lugar muito reconhecido.
Empobrece a nossos olhos...
A cidade sou eu!¨

Nenhum comentário:

Postar um comentário