25 de maio de 2011

Pensamentos cotidianos...

Curto e grosso.
É um horror.
Ser vendedor.
De livros, então.
Pior ainda.
Tá lá você.
Distraído com Borges.
Folheando o Pessoa.
Saboreando Lacan.
E aí aparece um tipo:
“Posso ajudar”?.
Jamais venderia nada!
É um crime.
Transitar, comercialmente.
No discernimento alheio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário