19 de maio de 2011

O limite do eu....

Kundera é um gênio!
Sua personagem Tereza.
Um dia, imaginou:
O que lhe aconteceria.
Se seu nariz crescesse.
Um milímetro pro dia.
Em algum momento.
Tereza não seria Tereza?
Aflita, dramatizava:
Onde está o limite do eu?

Nenhum comentário:

Postar um comentário