4 de abril de 2011

Sobre desiquilíbrios...

Minha vida sempre oscilou.
Entre as notas 6,5 e 8.
Nada de beira do abismo.
Ou fundo do poço.
Desconheço depressão.
Insônias, complexos.
Grandes desiquilíbrios.
E o ego super inflado.
Mas o mais curioso.
É que isso me atrapalha.
Há uma pancada de coisas.
Que eu poderia mudar.
Mas não mudo.
Tudo, absolutamente tudo.
Cheira normalidade.

4 comentários:

  1. É, precisamos de todas as pessoas, até dos desequilibrados. E dos pragmáticos ou cartesianos. Eu acho mais que no mundo de hoje os loucos é que são os sãos.

    ResponderExcluir
  2. Talvez eu esteja invejando a sua normalidade. O poema tá ótimo, vou me abster de mais comentários, Umberto. =)

    ResponderExcluir
  3. O que importa é se contentar com a normalidade!!!

    ResponderExcluir