25 de abril de 2011

Frustações afetivas...

Ainda sobre.
"A insustentável leveza do ser".
Kundera foi genial.
Ao deslocar a dualidade.
Leveza: descompromisso.
E peso: vínculo afetivo.
Na perspectiva existencial.
A partir daí.
Frustrações afetivas.
Seriam trivialidades cotidianas.
O telefone não atendido.
O e-mail não respondido.
A indelicadeza pós-sexo.
Teriam o mesmo impacto.
De uma nota baixa.
De um insucesso negocial.
Ou um happy-hour cancelado.
O fato é que há um abismo.
Entre o que se é.
E o que esperam.
Que você seja.
Tá aí o "gran motor".
Do tensionamento humano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário