1 de abril de 2011

Ode a Gregor Samsa....

Verdade, é estranho.
Simpatizo com baratas.
Associo-as à salvação.
Defino-me, radicamente.
Um humanista secular.
E me oponho convictamente.
A crenças sobrenaturais.
Lembro que ainda jovem.
Perdi besta supertição:
Quando via uma barata.
Forçava-me a matá-la.
Pra evitar, paranoicamente.
Um evento ruim.
Salvei-me. Hoje rio.
Vendo baratinhas em fuga.

Nenhum comentário:

Postar um comentário