13 de dezembro de 2010

Cazuzanidades...

Esbarrei na TV a cabo.
Com o filme do Cazuza.
Aí me tocou àquela.
Ultra-batida reflexão:
Um homem bom.
É o que se resguarda?
Que preserva forças?
Ou vale mais.
Ser intenso? Se arriscar?
Sei lá, ser mais livre?
Verdade.
É uma questão boba.
E trivial.
Mas define a moral.
Da qual somos presos:
A carne é fraca.
E delegamos à própria carne.
O controle, sob o manto.
De uma dualidade aflitiva:
o prazer ou a vida?
Problema:
Não teríamos razões.
Distintas.
Das de querer sempre.
Durar um pouco mais?

Nenhum comentário:

Postar um comentário