2 de agosto de 2010

A Idade Média não tinha acabado?

Excepcional a reportagem de ontem
do fantástico sobre o aborto.
Os dados da UNB são impressionantes:
uma em cada 4 mulheres (até os 40 anos),
já realizou o procedimento.
Ou seja, são brasilieras comuns.
E de todas as classes.
O aborto no Brasil já é livre, portanto.
O que muda é a forma de acesso.
Milhares de meninas pobres vão a hospitais
públicos tratar suas complicações (curetagem, etc.).
É um problema médico.
De alto impacto na saúde pública.
Não pode ser tratado por “marginais clandestinos”.
Pena que nossos políticos são bananas.
Morrem de medo do lobby da igreja católica e
dos evangélicos.
O argumento religioso é medieval.

Nenhum comentário:

Postar um comentário