30 de janeiro de 2012

Felicidades descontínuas...

A felicidade é.
Necessariamente descontínua!
Vai e vem.
Como o prazer de um email especial.
Do balançar na rede.
Do gelo no copo.
Da presença de um corpo quente.
E afetuoso.
E da nova ou velha paixão.
O fato é que essa convicção.
Desmonta 99%.
De toda essa xaropada religiosa.
E das "lições" de auto-ajuda!

Nenhum comentário:

Postar um comentário