24 de novembro de 2011

Taxistas: profetas do cotidiano....

Adoro conversar com taxistas.
Sāo os termômetros das cidades.
E os profetas do cotidiano:
Um dia ouvi uma confidência:
"Há 5 anos brigo com a mulher.
Acabou a vontade, acabou o sexo."
Frio, sugeri: "é hora de separar!"
"Não dá, ela vai brigar."
"Pode ser a última briga, já pensou?"
Fez-se o silêncio da intromissão.
No final da corrida, me agradeceu:
"Você está certo".
"Talvez nāo", devolvi.
Saí do carro culpado.
E reflexivo:
Até que ponto vale juntar os cacos.
De uma relação corroída?

Nenhum comentário:

Postar um comentário