31 de outubro de 2011

Os bens pós-morte....

Fim de mais um livro!
"O bandido que falava latim".
Dessa vez, até chorei.
Sim, chorar com um livro.
Isso é bem possível!
Há um trecho emocionante.
O drama da morte de Liminski.
Os muitos amigos no enterro.
E a hesitação emblemática.
Dos empregados do cemitário.
Que liberariam o corpo.
- Profissão?
- Poeta.
- Poeta é profissão?
- Poe escritor, então.
- Deixa bens?
- Sim, deixa muitos bens.
- Mas todos intangíveis!

O fato é que me seduz, muito mais.
Essa idéia de "vida pós morte".
Apenas a propagação edificante.
Do que se fez por aqui!

Nenhum comentário:

Postar um comentário