14 de setembro de 2010

Sobre aniversários...

Geralmente.
Não gosto de aniversários.
Pela timidez.
E pela centralidade da coisa.
Torna-se uma data provocativa.
Primeiro por insinuar nossa especialidade.
Ou não, perante os outros.
E depois por perverter a sagacidade.
De ver tudo, absolutamente tudo.
De forma relativa e leve.
Cria-se, tolamente, crises de aceitação:
a cada deslembrança, uma desilusão.
A cada cumprimento.
A simples obrigação da amizade.
Uma tremenda bobagem, claro!
Vou parecer contraditório.
Mas 12 de setembro agora, fiz 36 anos.
E fiquei muito feliz!
Não tinha parado para constatar.
Quantos amigos valiosíssimos
fiz ao longo dessa jornada.

Um comentário: