8 de setembro de 2010

Santo Graal do relacionamento...

Monogamia social é uma coisa.
Monogamia genética é outra.
A primeira é raríssima.
A segunda, raríssima ao cubo:
no mundo animal, é super comum a discordância
genética entre filho e pais sociais.
Nos chipanzés, supera 60% dos casos.
Nos homens, algo em torno de 10%.
Isso tudo para dizer o seguinte:
Já que a monogamia é tão improvável,
por que relacionamentos Sartreanos
ficaram fora de moda?
Com o perdão da generalização, a coisa
funciona mais ou menos assim:
Quase todos traem. Quase todos sabem.
E todos fingem que acreditam.
E assim caminha a humanidade:
bebendo no cálice sagrado de sua
mais escamoteada hipocrisia social.

Um comentário: