9 de fevereiro de 2012

A vitória da sonolência....

Isso que dá.
Ter a receita de um anti-histamínico.
Formulado num "xarope docinho".
Pra tratar uma laringite leve!
O resultado: um absurdo sono.
E a vida anestesiada!
Em frente ao computador: sono.
Em frente à TV: sono.
Em frente ao prato do almoço: sono.
Em uma reunião importante: sono.
Essa experiência me fez concluir:
A sonolência é uma delícia!
Pena que inapropriada.
Pra tempos atuais.
Lembrei da Idade Média.
E da recomendação de tomar vinho.
Em troca da água, que propagava doenças.
Houve tempo que vivíamos "bêbados".
Pois bem agora.
Deveria ser medida de Governo.
Distribuir anti-alérgicos.
Em prol da paz e da ordem social!

2 comentários:

  1. Embriagai-vos
    (Charles Baudelaire - Trad. Aurélio Buarque de Holanda, 1950)

    É necessário estar sempre bêbado. Tudo se reduz a isso; eis o único problema. Para não sentirdes o fardo horrível do Tempo, que vos abate e vos faz pender para a terra, é preciso que vos embriagueis sem cessar.

    Mas – de quê ? De vinho, de poesia ou de virtude, como achardes melhor. Contanto que vos embriagueis.

    E, se algumas vezes, sobre os degraus de um palácio, sobre a verde relva de um fosso, na desolada solidão do vosso quarto, despertardes, com a embriaguez já atenuada ou desaparecida, perguntai ao vento, à vaga, à estrela, ao pássaro, ao relógio, a tudo o que foge, a tudo o que geme, a tudo o que rola, a tudo o que canta, a tudo o que fala, perguntai-lhes que horas são; e o vento, e a vaga, e a estrela, e o pássaro, e o relógio, hão de vos responder:

    - É a hora de embriagar-se! Para não serdes os martirizados escravos do Tempo, embriagai-vos; embriagai-vos sem tréguas! De vinho, de poesia ou de virtude, como achardes melhor.

    ResponderExcluir
  2. Que coisa linda.....só podia vir de quem veio.....!

    ResponderExcluir