13 de setembro de 2011

Manifesto emocional....

Não somos nós.
Enquanto pessoas em vida.
Seres multifacetados.
Jogados em momentos.
De sucessivos desacordos e acordos?
Não há um Fausto.
Que se materializa.
De encantos e surpresas.
Que certos segundos nos trazem.
Seguido das frustrações.
Vindas desses mesmos instantes?
Ah, a vida.....
Diversa em fragmentação.
Bálsamos, perdas, ganhos.
E não obstante:
A quase plenitude!
Qual o mal da não-alegria.
Tê-la emergindo e submergindo.
E aprender com isso?
Por que diabos nosso senso ultra-moderno.
Quer se apropriar tudo?

Nenhum comentário:

Postar um comentário