8 de agosto de 2011

O cheiro do tempo...

Memória tem cheiro.
Fases reaparecem.
De aromas fugitivos.
Blocos da vida resurgem.
Em rajadas perfumadas.
Pululam instantes.
Medos, descobertas.
Lembraça se inala.
Em saboarias do tempo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário