19 de fevereiro de 2014

A nossa maior ficção.....


Há uma distribuição democrática de episódios a todos. Ao longa da vida temos conquistas, experiências marcantes, traumas, perdas de pessoas importantes, nascimentos, dramas afetivos, vitórias, crises, superações, etc. E há algo totalmente mágico em nisso tudo: a nossa interpretação! Como concebemos uma perda, como encaramos uma vitória temporária, que pode desancar em soberba? Em ego desmedido? Como lidamos com a separação, uma traição carnal, um coração partido, um desejo que não cede? Como enfrentamos uma doença grave? Um vício incorrigível? Uma violência do Estado, da Justiça dos homens, da sociedade? Como absorvemos um gesto edificante?  Um amor radical e obsessivo, uma nova chance? Uma ternura que teima em brotar? No fundo, estamos todo tempo interpretando nossa história.
E escrevendo, isoladamente, a ficção de nós mesmos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário