21 de dezembro de 2015

Sutil submissão social...


                                                      Abstracionismo em Kandinsky

A OMS fala que 20% da população mundial tem depressão. Não importa o lugar, seja na chuvosa Londres, no alegre Rio de Janeiro ou na fria Moscou.
Trata-se de uma doença de época, um lugar na economia mental da nossa cultura.
Vimos em Freud que a tensão “permitido x proibido” gerou no século passado um tipo de sofrimento diferente, do sujeito sublimar seus desejos pela rigidez da ordem social. Ou seja, “controlar” nossas pulsões e desejos produzia sofrimento.
Agora o sofrimento é bem diferente, ele se instaura não mais no proibido, mas nesse ideal “empresarial de si", de nos anunciarmos como produtos, da busca de maximização de intensidades com o mantra perigoso do "posso tudo, tenho que fazer tudo!".
Diria que é dai que fala a depressão, de um “cansaço de si”, da crueldade de um sistema sem limites, que se você fracassou nesse projeto a culpa é exclusivamente sua.
Faz pensar. A depressão talvez seja uma das formas mais astutas de submissão social!                                              

3 comentários:

  1. Voltando a estudar sobre a Teoria das Motivações de Maslow, mesmo que já tenha sido melhorada por outros estudiosos, pude perceber que os níveis das necessidades humanas passam pelo consciente individual mas muito mais pelo consciente coletivo quando, o tempo todo, estamos preocupados com o julgamento do outro. E por isso mesmo, poucos de nós seremos capazes de chegar e permanecer no topo da pirâmide motivacional. Talvez as afirmações como "Tenho que fazer tudo.", "Tenho que ter sucesso.", "Tenho que comprar isso" sejam nossas mais terríveis perturbações. Mostrar-se como os outros desejam nos rotular. Um ciclo vicioso de vendas.

    ResponderExcluir
  2. Lorena, belo comentário. Concordo totalmente !!

    ResponderExcluir
  3. Lorena, belo comentário. Concordo totalmente !!

    ResponderExcluir